A nova gestão pública e a reconfiguração da educação superior

A comunicação analisa criticamente os principais conceitos da Nova Gestão Pública e a sua relação com as práticas de avaliação da educação superior. Observa-se que por um lado essa concepção tende a ampliar a eficiência e a efetividade do setor público, por outro lado tende a subvalorizar tanto as especificidades da natureza pública da gestão. A prestação de contas, os mecanismos de controle e a ênfase nos resultados e na responsabilização dos agentes prestadores dos serviços pelos resultados obtidos. O processo de avaliação educacional baseado na Nova Gestão Pública restringe a complexidade educacional local a indicadores e manuais de “boas práticas”.

acesse o texto

Considerações finais

A Nova gestão pública ao buscar a eficiência e efetividade do setor público, característica do setor produtivo, acaba por deixar segundo plano as especificidades do setor público, que não se adequa as exigências das empresas capitalistas. Em outras palavras, a busca incessante de controle e cobrança de resultados deixa de lado as necessidades da sociedade.

Veja textos sobre Universidade e nova gestão pública 

A crítica aos limites da gestão burocrática conduziu a implantação de uma visão gerencial da educação, no qual o planejamento, avaliação em larga escala e ênfase na performatividade dos atores públicos são priorizados em detrimento da discussão do compromisso social da educação. Como consequência, nos países periféricos a complexidade da educação reduz-se a cópia de boas práticas dos países do primeiro mundo.

Explore o blog 

O Texto foi apresentado no Congresso Universidad 2020, 12 Congresso internacional de Educación Superior. Realizado no Palácio de Convenções Havana, Cuba de 7 a 11 de fevereiro de 2020.