Os bastidores da reforma universitária de 1968

José Carlos Rothen

Com o presente estudo busca-se contribuir para a compreensão do processo de elaboração da Reforma Universitária de 1968 e da ação de um dos grupos, formado por parte dos conselheiros do Conselho Federal de Educação, que teve significativa participação na elaboração da Reforma Universitária e que tradicionalmente não é considerado nas pesquisas realizadas sobre o período. Visando mostrar que no seio do governo militar havia um embate sobre os caminhos que deveriam ser dados a Reforma Universitária, faz-se uma comparação entre o relatório produzido pela Comissão Meira Mattos e o produzido pelo Grupo de Trabalho da Reforma Universitária. Conclui-se que o Conselho, ou pelo menos parte dele, utilizou a habilidade política para aproveitar das oportunidades do contexto para participar, nos bastidores da Reforma, da elaboração do modelo de universidade implantado no Brasil na década de 1960.

Educação e Sociedade. Campinas, v. 29, n. 103. 2008


Formação cultural e profissional no pensamento de Jayme Abreu veiculado pela Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos nos anos 1960

José Carlos Rothen
José Carlos Souza Araujo

O artigo é um dos resultados da pesquisa referente à história da elaboração das políticas educacionais, privilegiando os meios para a divulgação das idéias utilizadas por grupos que pretenderam exercer a liderança intelectual na elaboração dessas políticas. Tomar-se-á como objeto a Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos (RBEP) veiculada nos anos 1960. O texto resgata as idéias de Jayme Abreu, um dos atores sociais que determinou a linha editorial da Revista. Em suas reflexões Abreu adotou fundamentação teórica eclética, utilizando-se dos princípios da Escola Nova, das idéias veiculadas pelo Instituto Superior de Estudos Brasileiros (ISEB) expressas por Álvaro Vieira Pinto, e da Teoria do Capital Humano. O tema central do artigo – uma das questões fundamentais, e representativa das preocupações de sua época – é o de explicitar os objetivos e as funções que a educação deveria cumprir.

VI Congresso Luso-Brasileiro de História da Educação, 2006. Anais do VI Congresso Luso-Brasileiro de História da Educação. Uberlândia : UFU, 2006. p. 1-9


A imprensa pedagógica e a elaboração de Políticas Públicas: o exemplo da Revista Documenta na Década de 1960

José Carlos Rothen

VIII Encontro de Pesquisa em Educação da Região Centro-Oeste – ANPED, 2006, Cuiabá : Universidade Federal de Mato Grosso, 2006. p. 1-15


A universidade brasileira segundo o estatuto de 1931

José Carlos Rothen

A educação superior brasileira tem como um dos marcos estruturais de regulação o Estatuto das universidades brasileiras de 1931, promulgado na gestão do ministro da Educação e da Saúde Pública Francisco Campos. Junto foram baixados mais dois decretos-lei: o da criação do Conselho Nacional de Educação e o da Organização da Universidade do Rio de Janeiro. O objetivo deste artigo consiste em explicitar a concepção de universidade presente nos decretos-lei e no texto de Campos, no qual é apresentada a Exposição de motivos. Os documentos foram estruturados de forma que não estabelecessem rupturas. Postergando a implantação do modelo concebido, nesta documentação não há uma concepção homogênea de universidade, mas encontram-se os temas, os problemas e os dilemas que permearam a discussão posterior sobre os modelos de universidade.

IV Congresso Brasileiro de História da Educação: A educação e seus sujeitos na História, 2006, Goiânia. IV Congresso Brasileiro de História da Educação: A educação e seus sujeitos na História, 2006. p. 1-10.

Revista Brasileira de História da Educação n° 17 maio/ago. 2008.


La reforma universitária brasileña de 1968

José Carlos Rothen

O artigo, publicado em espanhol, versa sobre a Reforma Universitária Brasileira no ano de 1968. Discute a seguinte hipótese: a ação do Conselho Federal de Educação, um conselho técnico da burocracia estatal, teve relevante influência na elaboração da legislação que fundamenta a Reforma. Partindo da constatação de que os Conselheiros vinculados ao Instituto Nacional de Estudos Pedagógicos utilizaram-se da Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos para divulgarem as suas posições, apresenta-se a concepção de universidade dominante no Conselho mediante o estudo das idéias expressas na citada Revista.

Revista de la Educación Superior, Col. Sta. Cruz Atoyac – México, v. 137, n. 1, p. 43-61, 2006


O Instituto Nacional de Estudos Pedagógicos: uma leitura da RBEP

José Carlos Rothen

Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, v. 86, n. 212, p. 189-224, 2005.


Concepções de Universidade na Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos

José Carlos Rothen

Comunicações, Piracicaba, v. ano 12, n. 1, p. 104-113, 2005

VII Encontro de Pesquisa em Educação Região Sudeste – ANPED, 2005, Belo Horizonte. VII Encontro de Pesquisa em Educação Região Sudeste. Belo Horizonte : Anped Sudeste, 2005. p. 1-13 Com o título O CFE, a REBEP e a Reforma Universitária de 1968


Democracia, Educação e Planejamento

José Carlos Rothen

XXIII Simpósio Nacional de História. História: Guerra e Paz, 2005, Londrina. XXIII Simpósio Nacional de História. História: Guerra e Paz. Londrina : Associação Nacional de História – ANPUH – Editorial Mídia, 2005. p. 1-8


Filosofia política moderna: Hobbes, Locke e Rousseau

José Carlos Rothen

Célio Juvenal Costa. (Org.). Fundamentos Filosóficos da Educação. Eduem: Maringa, 2005, v. 5, p. 135-148.


A investigação científica nos cursos profissionalizantes

José Carlos Rothen 
Vanda C. A. Nery

Ícone, Uberlândia, v. 10, n. 1-2, p. 144-156, 2004.


Análisis de la Revista Interuniversitaria de Formación del Profesorado (1993-2002): una contribución a los estudios de educación para la docencia

Roberto Valdez PUENTES 
Orlando. F. AQUINO; 
José Carlos Rothen

Revista Interuniversitaria de Fromación de Profesorado. Zaragoza, v. 18 n 3, p. 153-178, 2004.


O Conselho Federal de Educação nos Bastidores da Reforma Universitária de 1968

José Carlos Rothen

III Congresso Brasileiro de História da Educação, 2004, Curitiba. III Congresso Brasileiro de História da Educação: A educação escolar em perspectiva histórica. Curitiba : Pontifícia Universidade Católica do Paraná, 2004. p. 1-11.


Poder de estado e poder dos técnicos: uma proposta de estudo

José Carlos Rothen

V Encontro de Pesquisa em Educação da Região Sudeste. Associação Nacional De Pós-Graduação E Pesquisa Em Educação Fórum De Coordenadores De Pós-Graduação Em Educação. Águas de Lindóia. 2002 p. 1-7.


Educação para o pensar: pressupostos filosóficos do programa de filosofia para crianças de Mathew Lipman


José Carlos Rothen
Luís Roberto Gomes
Márcia Reane PECHULA

23a Reunião anual da ANPED: Educação não é privilégio. Anais. Caxambu, Caxambú/MG 2000.


Dewey y la universidad norte-americana: una relación gramsciana.

José Carlos Rothen

Redes: revista de estudios sociales de la ciencia, Buenos Aires, v. 6 n 13, p. 137-149, 1999


O Aluno, o professor e a pergunta

José Carlos Rothen

Fragmentos de Cultura, Goiania, v. 8 n1, p. 201-203, 1998.


A Propósito da Relação Entre Epistemologia e Ética

José Carlos Rothen

Reflexão, Campinas, v. 55/56, p. 113-136, 1993.

Facebook
Facebook
Google+
http://rothen.pro.br/site/historia-e-filosofia">
Twitter
Share
LinkedIn