Gramsci, as revistas, o intelectual e a educação

Egberto Pereira dos Reis e José Carlos Rothen

Neste artigo, abordamos a forma como Gramsci compreendeu o importante papel dos periódicos, principalmente, as revistas como meio difusor de uma nova concepção de mundo na vida do operariado e do povo em geral. Para que os periódicos atinjam seus objetivos, é necessário que se estabeleça o princípio educativo, em que intelectuais orgânicos e subalternos da sociedade estabelecem a troca de saberes. Assim, constatamos que o intercâmbio educacional, dá-se dentro das revistas, como ocorreu com os periódicos L’Ordine Nuovo e Il Grido. Desse modo, segundo Gramsci, os periódicos foram decisivos para que o operariado de seu tempo pudesse compreender a própria realidade e os mecanismos de exploração da classe dominante. Desta forma, se estabelece a chamada guerra de posição. Em outras palavras, as batalhas que são travadas nas revistas e na sociedade civil em busca da hegemonia e, consequentemente, da reforma intelectual e moral.

Palavras-Chave: Gramsci; Princípio Educativo; Guerra de Posição; Revistas

REIS, Egberto Pereira dos; ROTHEN, José Carlos. Gramsci, as revistas, o intelectual e a educação. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 34, e178809, 2018. Doi http://dx.doi.org/10.1590/0102-4698178809